Tarot: Somos Bruxos?

Meus queridos, no artigo de tarot de hoje, vou responder uma pergunta que me pegou de surpresa por uma aprendiz aqui do Instituto…

“Nós já fomos considerados bruxos?“, disse.

Eu não esperava que essa dúvida sobre tarot surgisse tão abertamente, mas vamos lá!

Tarólogos e tarotistas já foram considerados bruxos?

Devo aconselhar que, antes de começar a ler este artigo, tenha os mínimos conhecimentos sobre o tarot.

Por isso, recomendo que acesse o nosso blog a respeito e acompanhe ao menos o primeiro artigo: quando falamos das origens deste oráculo.

Bom, então vamos lá!

De fato, alguns seres esotéricos foram queimados como bruxos durante a Inquisição (1231-1834)…

Como numerólogos, astrólogos, tarotistas e alquimistas!

O motivo? Estariam desafiando “Deus” propondo ideias contrárias às crenças da igreja na época… Praticando “bruxaria”

Tarot: um ato de bruxaria?

Afinal, se você estudou um pouco de história, sabe que não exista a tolerância religiosa ou social, não é mesmo?

Contudo, falando sobre o tarot, somente as mulheres acusadas de bruxaria tiveram problemas de verdade.

Das que foram queimadas, algumas delas atuavam com tarot e outras não (normalmente, de maior acesso à alta sociedade)…

Logo, o trabalho com as cartas veio apenas para “agravar” as acusações que recebiam para irem à fogueira como bruxas!

Por isso, ninguém foi queimada exclusivamente por atuar com tarot… Mas as cartas podem ter sido, sim, a “gota d’água” nos tribunais de acusação!

Esoterismo sempre foi “bruxaria”?

Não, e as primeiras matérias que vimos receber certo preconceito foram Astrologia e Alquimia.

Contudo, é importante dizer que estas faziam parte do currículo obrigatório de ensino durante o período Renascentista na Idade Média.

Quem integrou estas matérias foram Santo Alberto Magno e Santo Tomás de Aquino, por volta de 1250…

Tais disciplinas foram instaladas por toda a Europa e permaneceram na grade por séculos!

O esoterismo e holístico penetrando nossa vida

A medicina holística (antes, chamada de “medicina hermética” ou “medicina hipocrática) era muito aceita na Era Cristã.

Hipócrates (500 a.C.), Galeno (200 d.C.), Paracelso (1520 e outros ficaram muito conhecidos com ela, utilizando ervas e minerais…

Assim, trabalhavam diretamente astrologia, hermetismo e alquimia!

Muitos destes registros foram destruídos pelos cientistas da época do Iluminismo (século XVIII), e não pelo clero.

Então vemos que o mundo holístico, assim como as ciências esotéricas, nem sempre foram consideradas coisa de outro mundo… Ou bruxaria

Hoje, ainda existe muito tabu em relação ao tarot, mas a verdade é que as cartas já foram até um jogo entre nobres famílias na Europa!

Leia mais aqui sobre a história do tarot e sua origem: o de Marselha foi o primeiro!

Praticar tarô é um ato de bruxaria?

Então, quem foi queimado como “bruxo”?

Nove milhões de pessoas foram condenadas à fogueira ou forca…

Este acontecimento aconteceu na Inquisição por se tratarem de pessoas que não concordassem com os dogmas da igreja.

Destas pessoas, 75% eram mulheres viúvas acima dos 50 anos de idade, 15% homens viúvos de qualquer idade e 5% de perfis gerais, como crianças.

Poucas pessoas populares foram condenadas, mas estas por não compactarem com a igreja, e não por trabalhar com tarot ou esoterismo.

Hoje, o esoterismo ainda é “laico”: isto é, sem religião.

Mesmo que, para pessoas mais crentes e conservadoras em suas crenças, o esoterismo se trate de uma ciência maligna…

Então nós, tarólogos, somos bruxos?

Não! Nós somos um canal de contato com o Universo e as respostas.

(Mas quer se chamar de bruxo contemporâneo? Pode também rs)

As lâminas do tarot funcionam e trabalham de forma independente, por conta própria, sem que precisemos interferir de forma física.

A nossa participação é a concentração e pensamento: focar nossa mente na pergunta do consulente…

E este consulente também deve fazer a parte dele, pensando o que deseja saber e mentalizando todos os envolvidos na questão.

Mas isso não nos impede de ganhar um apelido carinhoso…

Na brincadeira, aqui no Instituto Mestres do Esoterismo, eu sou chamada de bruxinha, por exemplo!

A profissão pode sofrer preconceito

O preconceito

Assim como encontramos intolerância religiosa, é provável que mesmo em pleno ano de 2019, a profissão tarotista sofra preconceito.

Em partes porque existem videntes que se aproveitam de seu dom para manipular em lucrar.

Em partes, porque os charlatões que sequer sabem ler cartas enganam para lucrar em cima das lâminas, fingindo saber interpretar.

E para os menos descrentes, podemos estar mexendo com “forças do mal” por acertar todas as respostas.

Vamos desmistificar o nosso trabalho? Leia aqui mais artigos sobre Tarot e queime suas dúvidas de uma vez por todas!

Se quer estudar tarot, confira aqui os cursos em que temos vagas (agora online!).

Mas você também pode receber mais dicas esotéricas através do nosso Canal do YouTube.

E clique aqui se quiser ter uma consulta de tarot!

Até a próxima!

Comentários do Facebook